Momento Espírita
Curitiba, 22 de Janeiro de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Você me eleva

Não raras vezes, sinto-me triste e minha alma parece enfraquecida.

Quando os problemas chegam, meu coração sofre. Em momentos assim, eu fico em silêncio, esperando por você.

Quando você chega e se senta comigo por alguns instantes, sinto-me melhor, mais confiante.

Você me eleva. Faz com que eu me sinta capaz de alcançar o topo das montanhas. Capaz de caminhar por sobre as águas de mares revoltos.

Sinto-me mais forte quando posso contar com a sua força. Sinto-me mais feliz quando estou na sua presença. Você me ajuda a ser melhor do que eu jamais poderia supor.

Mesmo quando o silêncio é o único conselho que você me oferece, mesmo quando percebo que meu fardo somente eu mesmo poderei carregar, mesmo nesses instantes de soledade, a certeza do seu amor é o que me sustenta e fortalece.

Você me eleva.

Às vezes, quando encontro o seu olhar sereno, profundo sentimento de paz me invade. Uma doce sensação de eternidade ilumina meu ser. Não temo a morte, nem mesmo as dores da vida.

Se conto com o seu amor, sei que tudo suportarei. Mesmo que a distância me impeça de ver o seu rosto, mesmo que o tempo encha meu coração de saudade, mesmo que nossos caminhos tenham direções diferentes, mesmo assim, em minha alma há de haver para sempre o registro da sua existência.

As linhas suaves do seu rosto, o perfume dos seus cabelos, o timbre encantador de sua voz.

Você me eleva e me faz ser melhor.

*   *   *

O sentimento do amor é a aspiração mais sublime da alma humana. Em nome do amor, no entanto, por vezes, equívocos são cometidos.

Desatinos não são frutos do amor. São filhos do egoísmo e do orgulho que escravizam e iludem o ser.

O amor não se confunde com o sentimento de posse. Tampouco com a paixão que arrasta para os desfiladeiros da culpa, que arrasa vidas e corrompe histórias.

Quem se sente invadido pelo ciúme, na verdade ama apenas a si próprio e deseja dominar outro ser. Quem ama não tolhe iniciativas de crescimento, nem aprisiona o ser amado.

O amor é causa de elevação e de aprimoramento das criaturas. O amor não exige reciprocidade, nem reconhecimento.

Aquele que condiciona a oferta do amor a provas e a realizações específicas do outro, está realizando uma comercialização do que pretende oferecer.

O amor verdadeiro é incondicional e persiste, mesmo quando não correspondido ou adequadamente valorizado.

O maior exemplo de amor para a Humanidade é o do Cristo. Ciente da nossa condição, Ele nos oferece Sua presença constante, sem nada exigir de nós.

Ama-nos apesar do que ainda somos.

Apesar de nossas atitudes tolas e egoístas, Ele nos acolhe e nos fortalece sempre.

Estende-nos a mão e nos convida, de forma incessante, a sermos melhores.

Como Mestre, nos aponta o caminho, esperando que façamos a opção por trilhá-lo.

Aguarda-nos, amorosa e incansavelmente, enquanto insistimos pelas sendas dos erros.

Deixemo-nos tocar pelo Seu amor, porque Ele nos fará melhores e nos sentiremos confortados, aconchegados.

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita, com base em tradução
livre da música
You raise me up, de Josh Groban.
Em 7.1.2020.

 

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998