Momento Espírita
Curitiba, 20 de Julho de 2017
busca   
no título  |  no texto   
ícone Prece de gratidão

Eu Te agradeço, Senhor, ser filho do Teu amor e herdeiro do Universo. Ser cantor dessa beleza, ter um lugar nessa mesa, pelo sabor do meu verso.

Senhor, muito obrigado, pelos  pais bons e honrados e pelas lições da pobreza. Pelo café com farinha, por tudo que eu não tinha e que fez minha riqueza.

Pelo meu corpo perfeito, pela poesia em meu peito e os anos da minha idade. Por todo dever cumprido, pelo amparo recebido e o céu da Imortalidade.

Eu Te agradeço também pela semente do bem plantada no meu pomar. Pela doçura desse fruto não ter me tornado um bruto e ter aprendido a amar.

Pela água da minha fonte, pela linha do horizonte e um sonho de marinheiro. Pelo meu mar de criança e o meu barco de esperança percorrendo o mundo inteiro.

Pelo pão, pelo abrigo, pelo abraço do amigo, por Teu carinho invisível. Agradeço-Te com veemência esta paz na consciência e a minha fé invencível.

Pela luz que me ilumina, desde a antiga Palestina, na alegria e na dor. Por quem sou e pelo que sei, por Moisés trazendo a Lei, por Jesus trazendo o amor.

Senhor, eu Te agradeço pela dor e o tropeço quando ensinam uma lição. Ninguém paga sem dever e a Lei obriga a colher o efeito da nossa ação.

Pela sapiência contida no pergaminho da vida, na magia e na razão. Agradeço-Te a minha parte, pela ciência, pela  arte e pela Grécia de Platão.

Por Cabral no rumo certo, pelo Brasil descoberto, pela pátria e o cidadão. Pelo herói da Inconfidência, o Grito da Independência e a bênção da Abolição.

Pelas lições da História, pelo povo e a sua glória na busca da liberdade. E pela Humanidade inteira, quando erguer sua bandeira pela paz e a verdade.

Grato sou por ter um sonho, sonhar com um mundo risonho, numa paz contagiante. Ver este Brasil fecundo, como o coração do mundo, em um porvir deslumbrante.

Agradeço o bom combate e ter encarado esse embate, com o coração despojado. Com Tua luz nos meus passos, a fraternidade em meus braços e o meu sonho preservado.

Contigo, Senhor, sou forte, tenho um fanal, tenho um norte: amor, sensibilidade. Eu moro na melodia, na música, na poesia e no farol da verdade.

Muito obrigado, Senhor, pelo trabalho e o suor, pelo que dei e recebi. Quando chegar meu momento, se eu tiver merecimento, me leva para junto de Ti.

*  *  *

A prece é recurso abençoado que temos à nossa disposição para nos aproximarmos de Deus e de nossos irmãos. É meio de comunicação entre as almas e também a ponte entre o mundo invisível e o mundo que vivemos.

Através da oração, saibamos exaltar Deus por toda a Sua obra, por toda a beleza, magnitude e perfeição do planeta em que vivemos.

Externemos a nossa eterna gratidão pela oportunidade de uma nova experiência no corpo físico.

Agradeçamos sempre por todas as conquistas, espirituais e materiais, pelos obstáculos vencidos, pelas bênçãos recebidas, pela proteção, pelo trabalho oportuno e por todos os afetos que embelezam a nossa trajetória terrena.

Não nos esqueçamos de agradecer também pelas dificuldades e pelos desafetos, que encontramos no caminho, pois são, sem dúvida, instrumentos de aprendizado e aprimoramento pessoal.

Tenhamos, sobretudo, o cuidado de saber o que realmente pedir a Deus em nossas orações.

Quando recorrermos ao auxílio Divino, lembremos de pedir  sabedoria, esperança, paciência e forças para superarmos as dificuldades e conquistarmos o que desejamos.

 

Redação do Momento Espírita, com base no poema A prece da
criatura, de Manoel de Andrade.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 25, ed. FEP.
Em 9.9.2013.

© Copyright - Momento Espírita - 2017 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998