Momento Espírita
Curitiba, 23 de Junho de 2017
busca   
no título  |  no texto   
ícone Senhora da misericórdia

 

Caminhando em desespero, o velho homem pensara que não havia outra alternativa a não ser acabar com a própria vida, se jogando no rio Chieng.

Ele perdera tudo o que tinha e já não havia como alimentar a sua família.

Tinha receio de chegar em casa, olhar na face de sua esposa e dizer que perdera o pouco dinheiro que resultara da péssima colheita, numa aposta.

Dessa vez tudo parecera diferente. Ele tinha certeza que ganharia o jogo e teria dinheiro suficiente para comprar uma carroça, podendo assim ganhar seu pão transportando pessoas de uma província a outra.

Mas dera tudo errado. Sua última chance se esvaíra numa jogada mal planejada, que levara seu dinheiro e sua honra.

Sem honra e sem esperança, ele se aproximou da beira do rio. Pediu perdão aos deuses e ancestrais.

Preparava-se para se atirar na água, quando notou que, na margem, surgia a face de Kuan Yin, a senhora da misericórdia. Ela lhe sorria suavemente.

Envergonhado, o homem cobriu o rosto com as mãos, e falou:
S
enhora, tenha piedade de minha alma. Tenho muitas dívidas e, depois de um ano sem chuva, toda a colheita se perdeu. Não vejo saída senão a morte.

Filho, a morte nunca é saída para os problemas que precisamos resolver em vida.. - Disse a senhora.

Encerrar a vida antes do tempo certo apenas prolonga para outro ciclo algo que poderia ser resolvido agora.

A morte não é uma saída, é apenas uma passagem. E quem antecipa essa viagem acaba voltando ao ponto inicial da sua jornada.

Há pessoas que morrem em vida, e outras que se apaixonam pela morte como se ela fosse a resposta de tudo.

Eu lhe digo, porém: a resposta está na vida e quem é campeão da vida acaba achando um caminho quando está perdido, acaba encontrando uma luz quando tudo parece escuro.

Mas, como terei forças para voltar para casa com as mãos vazias? - Inquiriu o homem desnorteado.

Voltando com o coração cheio de vontade de continuar sua luta.

Vá, filho meu. E toda vez que o desespero lhe turvar a visão, repita meu nome em seu peito como se fosse o som do seu coração. Prometo que estarei por lá.

*   *   *

A misericórdia Divina sempre nos proporciona novas chances.

A lei da reencarnação é a prova de que Deus valoriza os recomeços, as renovações, o começar de novo.

Fugir de si, fugir da vida, nunca será a solução para os problemas que enfrentamos.

Cada nova encarnação traz seus desafios, suas metas e seus ajustes. Por isso precisa ser levada a sério, precisa ser analisada constantemente.

Quando nos voltamos para a vida, com o coração cheio de vontade de continuar a luta, encontramos forças onde não sabíamos existir.

Nunca estamos sós no mergulho na carne. O processo das reencarnações é extremamente organizado e conta com inúmeros trabalhadores que monitoram nossas vidas com carinho e desvelo.

Assim, não vale a pena desistir.

Se a misericórdia Divina nos presenteou com nova chance, abracemos a existência com alegria e coragem.

 

Redação do Momento Espírita com base
em texto da mitologia chinesa.
Em 01.05.2012.

© Copyright - Momento Espírita - 2017 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998