Momento Espírita
Curitiba, 21 de Setembro de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone A virtude da coragem

A coragem é uma virtude. Existe coragem para situações muito variadas. Coragem para empreender grandes obras e realizar grandes feitos. Graças a ela, o homem vence abismos, estendendo pontes. Revestido de coragem, o homem navega os mares e descobre novas terras.

Arrojado, decidiu vencer a gravidade e se lançou no espaço. Descobriu a cor azul do seu pequeno planeta e conquistou a lua, que  até então era somente o encanto dos enamorados.

Sem medo, concebeu e lançou no espaço sondas e artefatos especiais para fotografar, analisar outros planetas e astros.

Ansioso por descobrir outras formas de vida, busca o seio dos mares, vencendo a profundeza das águas e extasiando-se com a beleza da vida submarina.

Corajoso, o homem se lança à pesquisa e descobre, todos os dias, fórmulas novas para vencer enfermidades que ameaçam a vida.

Coragem demonstra a mulher que opta pela vida ao se descobrir grávida e enfrenta todos os preconceitos e dificuldades para gerar e dar à luz seu filho.

E há os que têm a coragem de esquecer as ofensas recebidas, estendendo a mão ao agressor, em novo voto de confiança.

Há os que sofrem por amor a determinadas criaturas, sem perder a esperança. Mães que carregam no colo filhos deficientes, sempre sorridentes e dispostas. Pais que carregam as chagas da indiferença dos filhos amados.

Sim, existem muitas formas de coragem. A coragem de viver com dignidade, mesmo ouvindo falar das facilidades nos negócios escusos. Coragem de erguer-se com o raiar do sol e enfrentar o dia de lutas constantes.

Mas, com certeza a coragem maior é a da criatura aceitar os próprios erros no caminho que empreende e receber críticas com humildade.

É preciso muita coragem para reconhecer as próprias deficiências e se decidir pela mudança salutar. É necessário ser muito corajoso para lutar contra o vicio da crítica destrutiva, da inveja constante, do egoísmo que isola.

É preciso ser corajoso para fazer tudo o que está ao alcance a fim de se corrigir, certo de que a jornada de todos os homens não se encerra com a morte física, nem se restringe às coisas materiais.

É preciso revestir-se da coragem para se corrigir com paciência, sem perder o bom ânimo, seguindo sempre em frente.

*   *   *

A natureza não dá saltos. Se hoje você descobrir que tem muitos defeitos, não desanime.

Prossiga melhorando-se a cada dia. Não acredite nas melhoras repentinas, que transformam a criatura de uma hora para outra.

Acredite no investimento das horas e invista em si mesmo. Melhore seus conhecimentos intelectuais, alargue sua visão de mundo, informe-se a respeito da vida espiritual.

Munido de tais tesouros, comece a trabalhar, com coragem, a sua intimidade, de forma que possa carregar com honra o título de filho de Deus, que é o Criador perfeito.

 

Redação do Momento Espírita.
Em 25.1.2013.

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998