Momento Espírita
Curitiba, 08 de Abril de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Iluminando o Universo

Quando temos a feliz oportunidade de olhar para o céu à noite, longe das luzes da cidade, ficamos maravilhados com o esplendor estrelado acima de nós.

Parece que as estrelas que cintilam, em silêncio, sempre estiveram lá e que, noite após noite, século após século, estarão no mesmo lugar.

Será que lá se encontram desde o início dos tempos? Onde começa a História das estrelas?

Apesar de serem inúmeras as perguntas sobre esse assunto, hoje a ciência nos esclarece muitas dúvidas.

A astronomia nos diz que elas são enormes globos de gás, milhões de vezes mais maciças do que a Terra.

O nosso sol é uma estrela.

Embora elas nasçam mais ou menos da mesma forma, emergindo de nuvens de poeira e gás, podem assumir muitas características diferentes.

Elas têm variadas dimensões, temperaturas e cores.

Grandes ou pequenas, brilhantes ou tênues, certeza há de que todas lançam sua luz para o cosmo.

Elas produzem o calor e a luz que ilumina e movimenta o Universo.

*   *   *

Assim como as estrelas, cada um de nós tem características próprias.

Somos imperfeitos e temos muitas limitações mas, ainda assim, somos capazes de ser fonte de luz e de aquecer e iluminar a vida das pessoas que nos cercam.

O brilho costuma exercer certa influência positiva sobre nós e, de alguma forma, nos atrai.

Quem não gosta de admirar o brilho do sol que embeleza nossos dias? Fitar olhos que brilham de felicidade? Quem não se alegra com um sorriso sincero que ilumina o ambiente?

Onde quer que estejamos, procuremos levar o nosso brilho às pessoas.

Façamos com que aqueles que conosco convivem, sintam-se aquecidos com nossa presença.

Assim como estamos certos de que todas as noites as estrelas estarão à nossa espera, sejamos a certeza na vida das pessoas de que estaremos prontos a estender nossas mãos todas as vezes que nos buscarem.

Quando olhos necessitados se voltarem para nós, tenhamos a capacidade de ser sol, mesmo nos dias mais nublados, aquecendo os corações com a palavra amiga e o afeto sincero.

Independente do passar do tempo e da distância, nos transformemos em estrelas, sempre presentes, clareando, exalando vida, calor e luz.

E nunca nos esqueçamos que Jesus é a estrela mais sublime que caminhou pela Terra, espalhando luz para iluminar nossas estradas, não permitindo que caminhássemos na escuridão.

*  *  *

Sê amigo de quem te busque o apoio, a presença.

As criaturas necessitam tanto de pão quanto de amigos para viver.

Há quem caminhe na multidão, sofrendo a soledade, necessitando de companhia, de amizade. Nunca permitas que a outra pessoa se afaste da tua presença sem que leve algo bom dos minutos passados contigo.

Tens muito a oferecer. Descobrir tais valores, seja o teu primeiro passo. Pô-los a benefício do próximo, o imediato.

Ninguém está privado dos bens espirituais, que não possa dispor de alguma coisa para oferecer.

 

Redação do Momento Espírita, com pensamentos finais do cap.
108, do livro Vida feliz, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de
Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL.
Em 27.5.2013.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998