Momento Espírita
Curitiba, 25 de Setembro de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Alegria e vida

A Humanidade terrena passa por momentos difíceis, complicados, jamais imaginados pelas gerações presentes.

Muitos se perguntam por onde anda a alegria de viver, frente à triste realidade que enfrentamos.

Quanto mais o homem tem progredido científica e tecnologicamente, sua alegria parece distante ou impossível.

As conquistas realizadas pelo ser humano, nessas últimas décadas, no micro e no macrocosmo, fazem com que um sentimento de poder passe a lhe alimentar o ego.

Perceber que pode penetrar, desvendar e manipular o mundo microscópico, é motivo de muito orgulho.

Olhar para os astros, e se sentir conhecedor dos meios de alcançar alguns, aproximar-se de outros, analisá-los através de suas potentes aparelhagens, fá-lo vaidoso.

Essas descobertas propiciam que a criatura comece a se sentir um tanto quanto criador, pois que não tem outra visão da realidade da vida.

E, apesar de todas essas conquistas, não sente a verdadeira alegria.

*   *   *

Quando o homem se entender como filho de Deus, herdeiro dessa Inteligência Suprema do Universo e Causa Primeira de tudo o que existe, mudará sua maneira de ser.

Quando conceber que é um Espírito imortal, de que nada sabe, frente ao muito a aprender, deixará de lado seu tolo orgulho.

Quando se aceitar como alguém que precisa de muita conquista, na direção do bem, diminuirá a vaidade que o acomete.

*   *   *

Necessário se faz um mergulho na realidade: enquanto vivermos apenas em busca de conquistas na área material, estaremos trilhando somente a linha horizontal da vida.

Ao buscarmos o crescimento, também na linha vertical, nos aprimorando na conquista das virtudes, da ética, do sentimento moral, a alegria nos visitará.

Alguém poderá argumentar como podemos falar em alegria, em meio a tanto sofrimento existente no planeta.

Então, pensemos: ao nos dispormos a viver a vida com alegria, precisamos olhar as situações com outros óculos. Por exemplo, o sofrimento faz mal, no entanto, não é um mal, porque oferece os recursos valiosos para a aquisição do bem permanente.

Logo, ter alegria não impede a aproximação do sofrimento, pois que ele faz parte de nosso processo de evolução.

Ao compreender esse fato, não abandonamos a alegria, até por poder aprender com a dor, e evoluir para Deus.

Quando o amor não está presente no sentimento, a alegria não floresce, porque permanece sombreada pelas dúvidas e suspeitas.

As pessoas dizem querer a alegria, a felicidade, mas não conseguem adquiri-las, por mais as persigam.

A alegria não é encontrada em mercados ou farmácias, mas no coração, que sente e ama.

Sempre que possível expressemos a alegria de viver.

Se já encontramos Jesus, melhor razão temos para a alegria, porque envoltos na Luz do mundo, nenhuma sombra ameaça.

Alegremo-nos com a vida que desfrutamos, e agradeçamos sempre a glória de saber e de amar, para agir com acerto.

A vida com alegria é, em si mesma, um hino de louvor a Deus.

Redação do Momento Espírita, com base na mensagem
Viver com alegria, pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Pereira Franco, na manhã de 29.5.2009,
no G-19, em Zurique, Suíça.
Em 17.10.2015.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998