Momento Espírita
Curitiba, 26 de Maio de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Desalentados jamais

Não há dúvida que vivemos, na Terra, um período profundamente perturbador, desalentador, sob muitos aspectos.

Na área da economia, as dificuldades estão presentes, em todos os cantos do mundo.

A sociedade consumista desequilibra o bom senso dos desavisados, que gastam mais do que têm...

O comportamento das criaturas inclina-se para diretrizes desarvoradas, nestas horas graves que experienciamos.

Porém, são muitos os bens à disposição da criatura humana, graças ao progresso conquistado, à evolução da ciência e da tecnologia.

Podemos observar que muitas enfermidades terríveis têm encontrado tratamentos adequados.

Que os recursos e orientações de higiene para a saúde, multiplicam-se.

Que as comunicações, a interação entre os povos, têm se ampliado consideravelmente.

Que a solidariedade entre comunidades e povos tem-se feito de forma crescente.

Aumenta, no entanto o número dos descontentes, para quem tudo está irremediável.

É natural que surjam problemas, dificuldades, impasses...

Nosso planeta está em reforma, em busca da mudança para melhor.

Estamos encerrando o período de provas e expiações para iniciarmos o de regeneração.

E quem, ao reformar sua moradia, não passa por um período de caos, que parece não ter fim?

A poeira cobre móveis e utensílios, a sujeira toma conta de tudo. Buscam seus pertences, mas não os encontram facilmente.

E, em meio a esse caos, podemos tomar uma de duas atitudes, que definirá o futuro de cada um, no momento certo: se fizermos a nossa parte com paciência, amor e resignação, ao final da reforma estaremos equilibrados para usufruirmos o novo; se nos entregarmos ao desespero, às brigas e revoltas, poderemos não gozar de saúde e alegria necessárias, para comemorar a casa nova.

*  *  *

Quando enfrentamos situações difíceis, que parecem não mais terminar, devemos nos empenhar em modificá-las, nos esforçando com a parte que nos cabe, semeando paz e equilíbrio onde estivermos.

Se na moradia cada qual deve fazer sua parte praticando amor e paciência, assim também no mundo.

Quando fizermos ao próximo conforme gostaríamos que nos fizessem, a fraternidade se instalará ao nosso redor.

Quando nos dispusermos a bem tratar o próximo, o amor fará parte de nossas vidas.

Quando nos transformarmos em pessoas moralizadas e respeitosas, qualquer corrupção terminará.

Quando valorizarmos a natureza, ela nos responderá com mais equilíbrio, flores, frutos, água.

Mediante a nossa transformação moral e ética, para melhor, estaremos contribuindo para que a reforma e mudança da Terra se faça mais rapidamente.

Dessa forma, entendamos as dificuldades presentes como necessidades passageiras.

Amemos a Deus e ao próximo como a nós mesmos, como nos recomendou Jesus. Esforcemo-nos para fazer todo o bem que esteja ao nosso alcance e ainda um tanto mais, e estaremos realizando a nossa parte.

Assim, quando a reforma da Terra se efetivar, teremos a satisfação de usufruir da nova morada, e poderemos prosseguir na construção do amor, da paz e da alegria.

Redação do Momento Espírita.
Em 5.12.2015.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998