Momento Espírita
Curitiba, 15 de Outubro de 2021
busca   
no título  |  no texto   
ícone Um poderoso remédio

A fé é um remédio poderoso.

Com este título, em março de 2000, Phyllis Mcintosh publicou um artigo em Seleções Reader's Digest.

A publicação chamou a atenção pelos dados apontados, fruto de estudos, experiências e pesquisas realizadas.

Por exemplo, a constatação de que a fé é um poderoso remédio surgiu depois de estudos realizados com pessoas de várias faixas etárias e diferentes crenças religiosas.

Foram observados enfermos e pessoas saudáveis.

Mais de trinta estudos detectaram uma ligação entre o compromisso espiritual ou religioso e uma vida mais longa. Ou seja, quem se dedica aos valores nobres, vive mais.

Uma pesquisa com mais de cinco mil habitantes da Califórnia constatou que era menor a taxa de mortalidade entre aqueles que mantinham vínculo com um templo religioso.

Essas pessoas também evidenciaram ter menor tendência à depressão, ao suicídio, ao alcoolismo e outros vícios.

A fé gera a esperança e um tipo de controle que combate o estresse.

Por essa razão, quem tem fé enfrenta melhor as doenças traumáticas, o sofrimento e as perdas.

Entre quase trezentos médicos, no encontro de 1996 da Academia Americana de Médicos de Família, 99% disseram acreditar que a fé religiosa pode contribuir para a cura.

E 63% deles tiveram a coragem de afirmar que a intervenção divina melhorou suas próprias condições de saúde.

Pesquisas apontaram, ainda, que mais de 60% dos pacientes têm opinião de que os médicos deveriam conversar com eles sobre fé. Até mesmo orar com aqueles que pedirem.

Talvez essa necessidade de unir religião à medicina seja, em parte, uma reação a um sistema de saúde cada vez mais apressado e impessoal.

Parece que médicos e pacientes havíamos esquecido de que não somos somente uma máquina física. Também somos e, principalmente, uma essência espiritual.

Em verdade, todas essas considerações de médicos e especialistas dos Estados Unidos comprovam o que Jesus nos ensinou há dois milênios.

Quando promovia alguma cura, assinalava: A tua fé te curou.

Também nos ensinou que a fé é capaz de remover montanhas. Figuradamente, estava se referindo às dificuldades e obstáculos que enfrentamos em nossa jornada terrena.

Com fé podemos remover as montanhas das enfermidades ou suportá-las com coragem e resignação.

Com fé podemos remover os obstáculos mais ameaçadores, porque a nossa confiança em Deus nos torna fortes o bastante para agir com coragem e a certeza de que triunfaremos.

A fé robusta dá a perseverança, a energia e os recursos que permitem possamos vencer nas pequenas quanto nas grandes coisas.

*   *   *

Se todos os homens se achassem convencidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar tudo o que, até hoje, chamamos prodígios e que, no entanto, não passam de um desenvolvimento das faculdades humanas.

Imbuídos da verdadeira fé, não existem maus pendores que não possamos vencer.

Confiantes na Força Divina, atrairemos para nós o auxílio dos mensageiros celestes, para nos fortalecerem em todos os momentos.

Acionemos a nossa fé.

 Redação do Momento Espírita, com dados do artigo
 
A fé é um remédio poderoso, de Phyllis Mcintosh, de
 
Seleções Reader's Digest, março de 2000 e do  cap. XIX,
itens 2 e 12 de
O Evangelho segundo o Espiritismo,
 de Allan Kardec, ed. FEB.

Disponível no livro Momento Espírita, v. 2, ed. FEP.
Em 21.10.2020.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2021 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998