Momento Espírita
Curitiba, 19 de Outubro de 2017
busca   
no título  |  no texto   
ícone Antes da nossa partida

Somos perecíveis enquanto seres vivos, transitando pela Terra. Imortal somente o Espírito.

Apesar dessa transitoriedade, ainda continuamos a dar importância a uma série de coisas que não importam tanto assim.

Deveríamos ter aprendido a reservar espaços na agenda e energia para as pequenas coisas que nos fazem felizes e dão sentido à vida.

Possivelmente por isso é que alguém escreveu um poema de despedida sobre uma pessoa que, ao encarar a morte, realiza um balanço sobre os ontens deixados para trás e o amanhã que não viverá mais neste mundo.

Quando o amanhã começar sem mim, e eu não estiver lá para ver, se o sol nascer e encontrar seus olhos cheios de lágrimas por mim, eu gostaria que você não chorasse da maneira que chorou hoje, enquanto pensava nas muitas coisas que deixamos de dizer.

Sei quanto você me ama, e quanto amo você. E cada vez que você pensa em mim, sei que sente a minha falta.

Mas quando o amanhã começar sem mim, por favor, tente entender que um anjo veio e chamou meu nome, tomou-me pela mão e disse que meu lugar estava pronto, nas moradas celestiais.

E que eu tinha de deixar para trás todos os que eu tanto amava.

Mas quando me virei para ir embora, uma lágrima escorreu-me pela face. Eu pensei que não queria morrer.

Eu tinha tanto para viver, tanta coisa por fazer, e pareceu quase impossível que eu estivesse indo sem você.

Pensei em nossos dias passados, nos dias bons e nos dias ruins, em todo o amor que vivemos, em toda as alegrias que tivemos.

Se eu pudesse reviver o ontem ainda que só por um instante, eu diria adeus e lhe daria um beijo. E talvez visse você sorrir.

Só então descobri que isso não aconteceria, pois o vazio e as lembranças ocupariam meu lugar.

Quando pensei nas coisas deste mundo, vi que posso não voltar amanhã.

Então pensei em você e meu coração se encheu de dor.

Mas quando cruzei os portões do céu eu me senti em casa. Quando Deus olhou para mim e sorriu, ele disse: “isto é a eternidade e tudo o que lhe prometi.

Agora sua vida na Terra é passado mas aqui uma vida nova começa.

Eu prometo que não haverá amanhã, mas que o hoje durará para sempre.

Então, que tal me dar a mão e compartilhar da minha vida?”

Logo, quando o amanhã começar sem mim, não pense que estamos separados, pois todas as vezes que pensar em mim, eu estarei dentro do seu coração.

*   *   *

Não esperemos a morte chegar para desejar fazer as coisas que nos deixam felizes.

Ouçamos o nosso coração e não esperemos a hora de partir para dizer: Amo você! Você é importante na minha vida! Minha vida sem você não teria sido tão maravilhosa!

Não economizemos gestos e palavras para manifestar a nossa ternura, o nosso carinho para com aqueles que amamos.

Obrigado, minha mãe! Parabéns, meu filho! Você lembra daquele dia?

Lembremos: depois da nossa morte, a empresa em que trabalhamos continuará, o trabalho prosseguirá, alguém o fará.

Mas ninguém nos poderá substituir no coração dos nossos amores. Por isso, aproveitemos, intensamente, a estadia ao lado deles.

Nenhum de nós sabe o dia, nem a hora da partida.

 

Redação do Momento Espírita, com transcrição
do poema
Quando o amanhã começar  sem mim,
de David M. Romano, que circula pela internet.
Em 11.4.2017.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2017 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998