Momento Espírita
Curitiba, 29 de Março de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Poder transformador

Existe na região da Puglia, na Itália, uma encantadora província chamada Alberobello.

O nome deriva de Sylva Arboris Belli, que significa selva das árvores de guerra.

Bem situada, geograficamente, entre os mares Adriático e Jônico, no alto de uma colina, desde tempos antigos, mereceu a cobiça de conquistadores de diversas procedências.

Chamam a atenção as casas trulli, que significa cúpula. São casas brancas, cilíndricas, construídas por pedras superpostas.

O teto é formado por uma cúpula, também de pedra, onde, muitas vezes, são pintados símbolos.

As trulli existem apenas nessa região, ao norte de Puglia, mas em nenhum outro lugar a concentração é tão grande quanto em Alberobello.

Por isso mesmo, são consideradas patrimônio da Humanidade pela UNESCO, desde 1996.

A província tem uma história rica de glórias e de sacrifícios, sendo, na atualidade, uma grande produtora de azeite de oliva.

O seu solo calcário dá vida a doze milhões de oliveiras, algumas das quais são consideradas as mais antigas do mundo.

No passado, essa região era fundo do mar, aparecendo o solo coberto de pedra calcária, graças às naturais mudanças ocorridas no planeta.

Devastada por conquistadores audaciosos, os seus agricultores tiveram o trabalho de arrebentar a crosta de terra até encontrarem solo adequado para a plantação e vida.

Esse trabalho gigantesco, que requereu grande esforço e persistência, resultou nessaabundante produção de azeite de oliva para quase todo o país e para o Exterior.

*   *   *

Visitando essa região produtora e que atrai centenas de turistas, de forma constante, pensamos no que o ser humano é capaz de fazer.

O seu poder transformador decide conquistar o solo e o faz, vencendo a rocha, buscando a terra fértil para a produção farta.

Nesses dias difíceis que vivemos em nosso país e no mundo, caberia a cada um de nós nos utilizarmos desse poder extraordinário.

Ante as pedras das dificuldades que se apresentam, podemos acionar nossos esforços para vencê-las, sejam as de caráter particular, sejam as que são de toda a comunidade.

Se nos unirmos, seremos ainda mais fortes e poderemos nos tornar uma força impulsionadora do progresso, convertendo desertos em jardins.

Verdadeiramente, pedras em pães, em grãos, em alimento salutar.

Nosso verbo, nossas atitudes poderão incentivar almas indiferentes ou agitadas em tormentos a modificarem o próprio rumo.

Nossas ações servirão de exemplo aos que nos observam e que, estimulados por elas, agregarão esforços aos nossos para a solução de graves problemáticas que angustiam a muitos.

Unidos poderemos erradicar a ignorância, abrandar a fome e agasalhar os que padecem nas intempéries.

Com esforço contínuo, encontraremos o abençoado solo do amor para a plantação da ventura e da paz.

Conscientes dessa nossa capacidade, tornaremos digna nossa existência terrestre, agindo de forma positiva.

A terra infeliz, ainda coberta de pedras e de inutilidade, receberá a ação benéfica da nossa atuação.

Façamos isso. Coloquemos as mãos em ação, coração e cérebro no bem.

Pensemos nisso.

 Redação do Momento Espírita, com base no artigo
Alberobello, de Divaldo Pereira Franco, publicado
no jornal
A Tarde, coluna Opinião, em  13.7.2017.
Em 25.9.2017.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998