Momento Espírita
Curitiba, 15 de Agosto de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Quando a gentileza se faz presente

Possivelmente já tenha acontecido com muitos de nós. Ao fazermos uma ligação, digitamos um número equivocado e quem atende é alguém totalmente desconhecido.

Por vezes, a pessoa é atenciosa. Explicamos nosso engano e ela nos desculpa. Raramente, até coincide de atender alguém que deseja muito conversar, e acaba nos pedindo alguns minutos de nosso tempo.

Também acontece que atenda alguém irritado. Esse grita, esbraveja, ao ponto de nos sentirmos muito mal com o que não foi nada mais do que um equívoco.

Neste tempo de conexões rápidas, quase acontecendo em tempo real, é comum nos serem endereçadas mensagens equivocadas.

Há algum tempo, uma jovem desejando saber a opinião a respeito da roupa que vestia, enviou fotos do provador da loja.

Adivinhe: digitou o número errado e sua mensagem teve a seguinte resposta: Eu acredito que essa mensagem era para outra pessoa.

A minha esposa não está em casa, então, não pude pedir que ela opinasse.

Mas os meus filhos e eu achamos que você está belíssima nesse vestido. Você deveria comprá-lo.

Quem assim respondeu foi Tony, pai de seis filhos, que anexou ainda uma foto com cinco deles dando um positivo para a escolha de Syd.

A história, bastante comum, nos dias atuais, repercutiu e logo mais Tony surpreendia os internautas revelando porque a sexta criança da família não estava na foto.

Kaizler, de quatro anos, batalha contra a leucemia. Naquele momento, estava em uma sessão de quimioterapia com a mãe.

Ele tem uma página no Facebook, acrescentou o paizão, documentando a sua luta. Um dos nossos seguidores reconheceu as crianças.

Você fez de meus filhos celebridades no Twitter.

E completou: A propósito, minha mulher concorda que o vestido ficou ótimo. Deus a abençoe.

Um usuário compartilhou a página que a família mantém para custear o tratamento da criança: Espero que o Twitter faça a sua mágica, escreveu ele.

Vamos dar um positivo para Kaizler, que não está na foto.

Foi aí que a gentileza de um homem, envolvido com os cuidados com os filhos, a preocupação com um deles em especial, recebeu positivas respostas.

O casal precisava arrecadar dez mil dólares para o tratamento. Após a publicação na rede, a campanha deslanchou e o valor superou as expectativas.

Ainda e sempre agradecido, Tony postou um clique de Kaizler, agradecendo a bondade dos desconhecidos da Internet.

*   *   *

Há muitas formas de se fazer o bem, de se tornar este mundo melhor.

A gentileza, distribuída a mãos cheias, sem olhar o destinatário, é uma delas.

E, naturalmente, um gesto gentil atrai simpatia, e muitas outras gentilezas. Estimula outros a agir de igual forma.

É assim que se transforma o mundo, que as paisagens sombrias se tornam iluminadas, que as pessoas sorriem mais e fazem felizes umas às outras.

Aprendamos a exercitar a gentileza com quem cruze nosso caminho. Mesmo que seja somente um caminho virtual.

Cada um de nós tem a especial incumbência de fazer este mundo melhor, onde esteja, com quem esteja, com as ferramentas que tenha à mão.

Pensemos nisso. O mundo nos pede ação. A Humanidade deseja ser feliz.

Redação do Momento Espírita, com história colhida
em
Veja, São Paulo, Redação, publicação em
12 de março de 2018.
Em 3.5.2018.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998