Momento Espírita
Curitiba, 23 de Janeiro de 2019
busca   
no título  |  no texto   
ícone Autoconsideração

Florinda acompanhou a pequena Alice até a sala de aula, pois precisava falar com sua professora.

A garotinha, atenta, ouviu quando a mãe, ao se despedir, falou que tinha muita consideração pela professora.

Aquela tarde lhe pareceu interminável, na sala de aula. O que mais desejava era chegar em casa para perguntar à sua mãe o que queria dizer ter consideração.

Na sua imaginação, circularam mil ideias. O que seria aquilo?

A mãe, sorrindo, ouviu a pequena e ficou feliz que ela estivesse curiosa. Afinal, seria mais uma palavra que ela acrescentaria ao seu vocabulário.

Então explicou que era uma forma de expressar respeito, estima, pelas pessoas.

Agora quem sorriu foi a menina, dizendo para a mãe que a considerava muito, e o diálogo terminou em um abraço muito apertado.

*   *   *

Podemos expressar consideração aos demais pela admiração e respeito que despertam em nós, pela forma de vida que levam.

Muito mais que isso, devemos despertar e alimentar sempre essa consideração por nós mesmos.

Ter autoconsideração é sentir respeito por si mesmo.

Um comportamento que melhora a nossa autoestima e serve de vacina contra as energias negativas. Também nos faz mais confiantes e seguros.

*   *   *

Comparemos o maior mandamento de Jesus, quando nos aconselha a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Não conseguimos seguir seu conselho na ordem em que se encontra, necessitando inverter os focos: primeiro aprendermos a nos amar para, em seguida, amar ao próximo e por fim amar a Deus.

Como ninguém pode dar do que não tem, precisamos realizar esforços para identificar o que não gostamos em nós e nos modificarmos. Só então poderemos nos amar.

Necessário agir de forma a angariar o autorrespeito, a autovalorização, a fim de atingir o autoamor.

Da mesma forma a autoconsideração.

Quando nos sentirmos capazes de nos respeitarmos, não faremos nada que venha a manchar essa conquista.

Ao percebermos que podemos nos sentir valorizados pelas conquistas feitas, não desistiremos de buscar mais e mais aprendizados.

Quando observarmos que nos amamos, nos autoconsideramos, pelo que somos e fazemos naturalmente, teremos condições de amar e considerar ao próximo como a nós mesmos.

Nesse momento nossa compreensão de mundo e de natureza se ampliou tanto que percebemos que amar a Deusse torna fácil, porque Ele está presente em nós mesmos e em tudo o que nos cerca.

Ficará, então, gratificante cumprirmos o mandamento maior: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

A razão de tanto sofrimento na face da Terra se dá pela falta de amor e consideração entre os homens.

Procuramos o amor fora de nós mesmos, sem saber que ele está em nosso íntimo, no nosso gene sagrado, herdado do Pai Maior.

Se está difícil amar ao próximo é porque ainda não nos amamos devidamente.

Conquistemos nossa autoconsideração e sejamos mais confiantes.

Redação do Momento Espírita.
Em 12.1.2019.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2019 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998