Momento Espírita
Curitiba, 19 de Agosto de 2019
busca   
no título  |  no texto   
ícone Agora

Agora é o momento decisivo para fazer o bem.

Amanhã, provavelmente... o amigo terá desaparecido; a dificuldade estará maior; a moléstia terá ficado mais grave; a ferida, possivelmente, se mostrará mais crescida de extensão; o problema talvez surja mais complicado.

A oportunidade de ajudar não se repetirá.

A boa semente plantada agora é uma garantia da produção valiosa no futuro.

A palavra útil, pronunciada sem adiamento, será sempre uma luz no quadro em que você vive.

Se deseja ser desculpado de alguma falta, aproxime-se agora daqueles a quem feriu e revele o seu propósito de reajustamento. Se você se propõe a auxiliar o companheiro, ajude­-o sem demora para que a bênção do seu concurso fraterno responda às necessidades dele, com a desejável eficiência.

Não durma sobre a possibilidade de fazer o melhor.

Não se mantenha na expectativa improdutiva, quando pode contribuir em favor da alegria e da paz.

A doação adiada tem gosto amargo.

Deixar para mais tarde o bem que podemos realizar é desaproveitar o tempo que temos na Terra. Não sabemos quando teremos nova oportunidade tão rica como essa.

*   *   *

Nada mais triste do que chegar num ponto da vida e sermos invadidos por pensamentos de que devíamos ter feito algo mais; que devíamos ter corrigido algo; que podíamos ter aproveitado melhor determinada oportunidade ou desfrutado mais da companhia de alguém.

É uma culpa que não precisamos carregar se formos mais presentes, se estivermos mais atentos ao que nos rodeia.

Dessa forma, perceberemos que o bem grita em nossa intimidade, muitas vezes. Ele nos convida, nos chama.

Mas, alegamos não dispor de tempo ou acreditamos não ser o momento, não temos coragem ou o orgulho não permite que ultrapassemos determinadas barreiras.

Precisamos aprender a ouvir melhor esses convites íntimos, esses clamores que vêm do coração nos conclamando a enxergar a chance. A perdoar. A compreender! A falar com essa ou aquela pessoa. A ajudar.

Nossos anjos de guarda se utilizam de sua influência para nos orientar, para não nos permitirem perder oportunidades valiosas da existência.

Eles nos sugerem palavras e ações, misturando suas ideias às nossas, para que tenham mais força.

Por isso, é importante que estejamos abertos ao bem. Os pensamentos precisam estar em equilíbrio, sem caírem constantemente nas teias do ódio, da revolta, do estresse.

Quando estamos bem, sintonizamos com o bem.

Alimentemos nossa mente com conteúdos positivos diariamente. Leituras, conversas, palestras, estudos.

Uma mente preenchida com bons pensamentos não tem espaço para ideias maldosas ou tolas.

Não nos deixemos intoxicar pela negatividade de alguns, pelo pessimismo daqueles que afundaram e querem levar outros com eles.

Sejamos nós os agentes da mudança, os que fazemos as pequenas coisas que constroem, que auxiliam, que mudam para melhor o panorama do mundo.

Sejamos nós o sorriso que acolhe, o gesto gentil que inspira, a palavra sensata que não julga, que elogia e traz sempre as notas do amor.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 119 ,do
livro
Fonte Viva, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de
Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.
Em 8.2.2019

© Copyright - Momento Espírita - 2019 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998