Momento Espírita
Curitiba, 16 de Setembro de 2019
busca   
no título  |  no texto   
ícone Viver é lutar

Quando aplaudimos grandes cantores, que se destacam no mundo da arte musical, nem imaginamos o quanto eles precisaram se empenhar para chegar onde se encontram.

Até pisar os palcos internacionais, conquistar o público, demonstrar seu valor, tiveram que percorrer um sofrido caminho.

Quase sempre, os invejamos, porque recebem os aplausos do mundo, desfrutam de riqueza e aparecem sorrindo, em frente às câmeras e shows.

Alguns relatam meses e meses de continuado aprendizado. É o caso de Andrea Boccelli, tenor de sucesso, que já fez dupla com o roqueiro italiano Zucchero Formaciari, Luciano Pavarotti, Celine Dion e outros nomes da música internacional.

Possuidor de uma voz excelente, e talento para o canto, desde criança, seu sonho era cantar ópera. Vencendo concursos na Itália, foi, no entanto, desaconselhado a tentar se tornar um tenor.

Nascido com glaucoma congênito, que o deixou parcialmente cego, perdeu totalmente a visão, aos doze anos, depois de um golpe na cabeça, durante uma partida de futebol.

Decidido, empenhou-se em depender o menos possível de qualquer pessoa, a fim de se firmar na vida. Optou por seguir a carreira do direito.

Formou-se na Universidade de Pisa e chegou a advogar durante um ano.

Abandonou tudo para se dedicar, com exclusividade à sua formação como tenor.

Encontrou um excelente e rigoroso professor. A primeira aula foi uma longa especificação das normas que ele deveria seguir.

Em síntese, a regra primeira era disciplina. Ele não poderia se servir de alcoólicos, nem fumar. Deveria dormir e levantar a horas certas.

E aprender a falar menos. A ouvir mais. Treinar respiração, aprender a cantar, a utilizar devidamente a voz.

Com esse mestre, maestro Luciano Bettarini, ele aprendeu, em especial, a se preparar para os grandes eventos.

Era importante permanecer em absoluto silêncio para ouvir a sua respiração, os seus músculos, todo seu ser se expressando.

Seria ouvir a música do silêncio. A música que vem de dentro, a música que se ouve com a alma e que poucos de nós sabemos escutar.

Hoje, o menino nascido em Lajatico, em 1958, é um tenor, compositor e produtor musical. Tem sua estrela na calçada da fama, em Hollywood.

E realizou seu sonho de cantar óperas, tendo gravado nove completas. Também vários álbuns clássicos e populares.

Apesar de todo o sucesso, Andrea nunca parou o treinamento vocal, que prossegue com o tenor Franco Corelli, especialista na área.

Ele venceu por sua persistência, superando os momentos de quase desespero por ter perdido totalmente a visão, as frustrações pelos tantos não que recebeu.

*   *   *

A vida nos é dada para o progresso, para o crescimento. Os reveses, as decepções nos devem servir de alavancas para o prosseguimento da luta.

Muito bem escreveu em sua poesia indianista, o poeta Gonçalves Dias:

Não chores, meu filho;

Não chores, que a vida é luta renhida: viver é lutar.

A vida é combate, que os fracos abate;

que os fortes, os bravos só pode exaltar.

Lutemos. Vençamos. Nós podemos.

Redação do Momento Espírita, com dados biográficos de
  Andrea Boccelli e versos do poema
Canção do Tamoio,
de Gonçalves Dias.
Em 3.9.2019.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2019 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998