Momento Espírita
Curitiba, 04 de Abril de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Propósito de vida

Registra-se grande número de jovens concluindo o ensino médio sem propósitos de vida pela frente.

Por outro lado, existem muitos que sabem perfeitamente o que querem para a sua vida.

Amy Hehe está nesse grupo e tinha seu propósito praticamente traçado aos dezenove anos.

Havia decidido abrir um hospital para crianças na África.

Por isso, Amy se dedicou a planejar todos os detalhes de um centro médico para tratar de crianças órfãs, com doenças terminais, no Quênia.

A ideia surgiu quando tomou conhecimento das lutas delas para sobreviver em instituições precárias e lotadas.

O sonho tornou-se realidade.

Ela e o marido Rob, fundaram, no Quênia, o Hospital Infantil Ovi, sem fins lucrativos.

Formada no programa de assistência médica da Universidade de Kentucky, vivencia o impacto de testemunhar, participando dos sofrimentos de seus pequenos pacientes que lutam contra a desnutrição, malária, ferimentos, câncer e HIV.

Ela vive feliz com o que faz pelo bem daquelas crianças que precisam de tratamento, atenção, amor e esperança.

*  *  *

Atualmente percebemos se multiplicarem as ações humanitárias espalhadas pelo mundo.

Muitos são os que se dedicam a atividades em benefício de crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Isso mostra que nosso mundo caminha na direção do amor que Jesus nos exemplificou.

Amor verdadeiro, livre dos apegos materiais. Amor que exala o perfume da verdadeira caridade, que se doa integralmente.

Amor que faz do local de atendimento, por mais simples e humilde que seja, um lugar acolhedor, agradável, pleno de alegria.

Amor que ampara o assistido com gentileza e carinho. Amor que simplesmente ama.

Sabemos que não é fácil realizar tal intento, pois que necessitamos de valores morais e espirituais que demoramos a conquistar.

No entanto, todos podemos realizar esforços e, com boa vontade, participar de ações que visem o bem alheio.

Se não temos condições de arcar com um novo projeto, temos a possibilidade de nos associarmos a iniciativas que estão em andamento, seja oferecendo nosso trabalho ou colaborando com o que tivermos para ajudar a manter o atendimento.

Lembramos da Casa do caminho, instituição criada, em Jerusalém, pelos apóstolos, após a morte de Jesus.

Buscando colocar em prática seus exemplos e a recomendação do amai-vos uns aos outros, como eu vos amei, os apóstolos acolhiam os necessitados, oferecendo-lhes abrigo, alimento, tratamento condizente e os ensinamentos do Mestre de Nazaré.

À época, os portadores de certas enfermidades eram simplesmente abandonados. Aqueles portadores de hanseníase eram colocados para fora dos muros das cidades.

À semelhança dessa casa de amor, do passado, podemos nos dispor a algum voluntariado.

Ou quem sabe, auxiliar na manutenção de atividades de socorro existentes.

O que devemos nos esmerar é no exercício do amor, em especial aqueles que nos dizemos os seguidores do Galileu.

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita com base
 em fatos da vida de Amy Hehe.
Em 16.3.2020

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998