Momento Espírita
Curitiba, 30 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Vivendo um tanto mais...

Você deseja viver longamente sobre a Terra?

Quem não o deseja?

Apesar de dizermos, quase constantemente, que este é um planeta de dores e desilusões, de nos afirmarmos cansados das tantas lutas, não há quem não deseje retardar um tanto mais sua partida para o Além.

Pobres, ricos, afortunados ou não, todos pensam em ficar por aqui um pouco mais. E mais um pouco.

A prova disso é que sempre que a morte chega afirmamos que ela se apresentou antes do tempo.

Ele era tão jovem! Logo agora, na flor da idade!

Que pena, justo no momento em que ele iria começar a desfrutar a aposentadoria!

E assim por diante.

Talvez seja por isso que as Universidades de Harvard e Cambridge publicaram um estudo com vinte conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida, de forma prática e habitual.

Vários deles se referem à alimentação, como tomar diariamente um copo de suco de laranja, para aumentar o teor de ferro no organismo e repor a vitamina C.

Ou salpicar canela no café, o que auxilia a manter baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue.

Ou ainda desfrutar de uma xícara de chá ao dia. Uma xícara diária desta infusão, afirmam, diminui o risco de doenças coronárias.

Outros itens aconselham realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam a memória, como quebra-cabeças, palavras cruzadas.

Ou ainda aprender uma habilidade nova, aprender um idioma, ler um livro e memorizar parágrafos.

Rir é recomendado. Cem a duzentas gargalhadas equivalem a dez minutos de corrida, baixando o estresse e acordando células naturais de defesa do organismo e os anticorpos.

As relações afetivas também estão na lista das Universidades.

Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantêm um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem pressão alta, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã.

Com certeza, não foi em vão que Deus criou o ser humano para viver em sociedade.

Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vida mais saudável do que as pessoas solitárias, ou que somente têm contato com a família.

Ter um animal de estimação é saudável. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico, regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University.

Os mascotes têm o dom de fazer as pessoas se sentirem ótimas, relaxadas e isso atua, diminuindo a probabilidade de desenvolver pressão arterial elevada.

Os cães são os melhores mascotes, mas até um peixinho dourado pode causar um bom resultado.

Finalmente, a regra extraordinária diz que a pessoa deve se conhecer.

Os que se conhecem e priorizam o ser sobre o ter têm 35% de possibilidades de viver mais tempo.

*   *   *

O estudo das Universidades é recente e os conselhos estão sendo abraçados por muitos.

A nós cabe, seguindo a orientação de Sêneca, escolher a melhor forma de viver, habituarmo-nos a ela e torná-la agradável.

Pensemos nisso e vivamos bem, para vivermos mais e mais felizes neste bendito lar chamado Terra.

Redação do Momento Espírita, com base no artigo

 Vinte conselhos de Harvard e Cambridge para viver melhor.
Em 17.1.2023.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998