Momento Espírita
Curitiba, 17 de Junho de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Com o que tenhas

É bastante comum as pessoas invejarem umas às outras. Algumas apreciariam ter facilidade de se expressarem em público porque, afinal, para muitos isso parece tão fácil.

Outras gostariam de ser admiradas pela sua beleza, como tantas o são, parecendo atraírem os olhares onde quer que estejam.

Enfim, é um desfilar contínuo de desejos de ser como o outro, de ter o que o outro tem.

Uma cantora e estrela da TV americana teve oportunidade de narrar uma de suas experiências de vida. Algo, diz ela, que lhe aconteceu em torno de seus treze anos de idade e que influenciou definitivamente sua carreira e seu modo de ser.

Foi nessa época que ela recebeu a chance de realizar uma turnê por várias cidades americanas com uma famosa cantora.

Apresentando-se em ambientes fechados de igrejas, elas atraíam público sempre entusiasta.

Della Reese afirma que toda vez que se apresentava dava o máximo de si. Buscava entoar as notas mais altas, sustentava-as por tempo mais longo. Enfim, era um show em que se exibia.

Esquecia-se, quase sempre, de que estava cantando em templos religiosos e entoando hinos que deveriam ter o objetivo único de louvar ao Senhor e sensibilizar as criaturas para as coisas espirituais.

Com o tempo, ela foi observando que o seu modelo, a famosa Mahalia Jackson inspirava ao povo sentimentos diferentes dos que ela conseguia. As pessoas a ouviam com respeito e assombro.

Qual seria o motivo, ela se perguntava. Foram necessárias muitas apresentações para conseguir descobrir.

Foi quando, em uma determinada localidade, encontraram uma garota, uma lavradora de tranças longas que cantava maravilhosamente.

Della Reese, de imediato, ficou enciumada. Com certeza, ela seria preterida.

No entanto, quando manifestou seu mau humor e sua raiva para a famosa Mahalia, recebeu a lição, em poucas palavras:

Não se trata de cantar melhor, de sustentar por mais tempo as notas ou de alcançar tonalidades mais agudas. Trata-se de sentir a presença de Deus. Não estamos numa competição. Estamos a serviço de Deus.

E concluiu: Fique feliz por Ele ter chamado você. Mas, lembre-se de que você não é a única a quem Ele chamou.

Della Reese afirma que jamais conseguiu cantar como cantoras extraordinárias que a inspiraram, mas conseguiu cantar como ela mesma, dar o que tinha de seu.

E considerou que a presença daquela mulher em sua adolescência foi a dose exata da Providência Divina se manifestando para que ela aprendesse a ser grata e valorizasse o que possuía.

*   *   *

Todos somos filhos de Deus e todos possuímos dádivas que nos foram dadas por Ele.

Todos trazemos a este mundo talentos que nos cabe aproveitar bem. Uns possuímos a inteligência aguçada, a sabedoria, recursos materiais. Outros, a facilidade para as artes, a comunicação, as ciências.

Cada um de nós está colocado estrategicamente em um lugar especial, para ali crescer e auxiliar os demais a crescerem, para progredir e ajudar o progresso dos que convivem conosco.

 

Redação do Momento Espírita, com base no artigo
 
O toque de um anjo, de Seleções Reader´s Diagest,
 de abril de 1998.
Em 8.7.2023.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998