Momento Espírita
Curitiba, 26 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone O trabalho que não cessa

Toda ocupação útil é trabalho, aprendemos com os mensageiros dos céus. Desde então, contemplando nossas mãos operosas, agradecemos a Deus a bênção do trabalho, que forja o progresso.

Graças ao trabalho, saímos das cavernas e das choupanas improvisadas para as casas confortáveis; construímos edifícios que escalam os céus, tentando se perder entre as nuvens.

Graças ao trabalho, unimos abismos, transpomos mares, edificando pontes, que maravilham pela extraordinária engenhosidade e beleza.

Graças ao trabalho da mente e das mãos concebemos foguetes que vão além da estratosfera, satélites que sondam o espaço, espaçonaves que viajam a velocidades inimagináveis.

Graças ao trabalho, imergimos a mente na pesquisa, desvendando a existência de seres minúsculos e suas atividades estratégicas.

Descobrimos a origem de enfermidades e providenciamos a vacina, o medicamento, os paliativos.

É o trabalho que enche nossos campos de grãos, que se transformam em alimentos que chegam à nossa mesa e abastecem nossas despensas.

Graças ao trabalho represamos a água e a transformamos em energia; criamos canais de irrigação, a transportamos para dentro dos nossos lares.

Graças ao trabalho, registramos os pensamentos e a nossa própria evolução em livros. Do pergaminho, da pele de animais aos e-books, mantemos a nossa história registrada, para que o futuro nos conheça o ontem e o hoje.

Abençoado trabalho, que nos permite o salário digno, conforme os dizeres evangélicos.

Abençoado trabalho que nos enche as horas, impedindo que a depressão nos abrace e a monotonia nos consuma.

Abençoado trabalho que nos torna felizes a cada quadro elaborado, a cada poema escrito, a cada pequeno artefato concebido.

Beleza, arte, som, tudo criamos graças ao trabalho da nossa mente que não deseja parar no tempo e no espaço, porque seu desejo é conquistar as estrelas.

Quantos de nós ainda lamentamos o trabalho. Lastimamos as tantas horas que nos são exigidas nas fábricas, nas usinas, nos escritórios ou nos campos.

Esquecemos de olhar para o resultado do nosso trabalho. Quando atendemos o cliente, lhe oferecendo o de que necessita, estamos colaborando com o mundo.

Quando ofertamos nosso produto industrializado, manufaturado ou semeado, estamos colaborando com nosso semelhante.

Quando mantemos em bom estado as ruas e estradas, estamos colaborando com a melhor e mais apropriada movimentação dos veículos.

Quando providenciamos a limpeza da calçada em frente à nossa residência, quando efetuamos a correta separação do lixo, quando limpamos as praias e as barrancas dos rios; quando providenciamos a poda das árvores, a colheita dos frutos, a disponibilização no mercado; quando ofertamos os produtos das nossas mãos em vestimentas, agasalhos, peças de artesanato de toda sorte, estamos colaborando com o mundo melhor.

Isso afirma que somos úteis, que somos fomentadores do progresso, que somos criadores de benesses para a Humanidade.

Aprendamos a realizar o nosso trabalho com alegria, felizes pela oportunidade de servir, de crescer.

Trabalhar é uma bênção. Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita.
Em 27.5.2022.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998