Momento Espírita
Curitiba, 24 de Abril de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone O trabalho de Deus

Ele esteve entre nós por menos de três décadas. Mas realizou a maior revolução que um único ser humano já conseguiu.

Foi de tal forma importante que dividiu a História do mundo entre antes e depois de Seu nascimento.

Senhor das estrelas, Rei Solar, Governador Planetário, Mestre e Senhor. De muitas e diversas formas O denominamos.

Entre tantos ensinos preciosos, uma frase promoveu grande alvoroço entre os que estávamos acostumados a considerar que trabalho era somente para os escravos, os considerados inferiores, os vencidos:

Meu pai trabalha incessantemente e eu trabalho também.

Para todos os que tínhamos a ideia de que o Supremo Criador realizara a Criação em apenas seis dias e, a partir de então, vivia o repouso, ocasionou estranheza.

O Pai trabalha incessantemente. Mas se Ele criou os sóis, os planetas, o Universo todo, que mais precisa fazer?

Que trabalho é esse que O mantém sempre ativo?

E nos damos conta de que cabe a Deus o labor de soprar os ventos, regulando sua intensidade em cada recanto do planeta.

A Deus cabe acender as estrelas, para que iluminem nossas noites e coroem o luar de maior encanto.

Cabe a Deus fecundar o solo, para que nossas sementes explodam em flores, frutos, abençoando-nos a tarefa da semeadura.

Cabe a Deus agitar os mares, provocando ondas que se levantam como quem deseja expressar gratidão, e morrem na praia, entre rendas de espumas e brandura.

Ou, então, se jogam contra as rochas, desenhando-lhes novos contornos, no transcorrer do tempo.

Cabe a Deus derramar cachoeiras montanhas abaixo, e a cada uma providenciar sonoridade diversa, para que a monotonia não nos canse de ouvi-las.

Cabe a Deus desfolhar as árvores, para que possamos observar o rodopio das folhas, a avalanche das pétalas que atapetam o chão.

Cabe a Deus providenciar o alimento aos pássaros que enchem nosso céu, vestir a erva do campo, conferir as exatas cores para as flores da pradaria.

Cabe a Deus pintar o outono, colorir a primavera e providenciar uma capa de arminho para o inverno.

E, enquanto vivemos o nosso dia a dia, Ele continua a criar mundos, sóis, planetas, tornando sempre mais infinito esse Universo, além do que possa conceber nossa mais audaciosa imaginação.

Cabe a Deus reger a orquestra de todos os mundos, providenciar a emigração e imigração das Humanidades de uma para outra das Suas moradas.

Cabe a Deus estar atento a cada detalhe, onipresente, onisciente, manter a perfeição da Sua Criação.

Cabe a Deus olhar por todos os Seus filhos, providenciando o auxílio, tocando a generosidade dos corações para que todos tenhamos pão, abrigo e amor.

Cabe a Deus, como excelso líder, servir-se de equipes de mensageiros do bem, delegando tarefas, ordens, para que tudo aconteça segundo as Suas Leis.

Cabe a Deus enviar missionários às Suas moradas, para falar da Sua existência, para apontar caminhos de progresso.

Cabe a Deus gerir a magnitude da Sua Criação.

Cabe a Deus olhar por nós.

Que imenso e interminável o trabalho de Deus, Nosso Pai.

Redação do Momento Espírita, com base na pt. VI,
cap. 31, do livro
Ações corajosas para viver em
paz, pelo Espírito Benedita Maria, psicografia
 de Raul Teixeira, ed. Fráter.
Em 1º.6.2022.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998