Momento Espírita
Curitiba, 17 de Junho de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Nossos objetivos, nossos sonhos

Sara participava de um projeto social de inclusão no mundo do trabalho.

Nas primeiras reuniões, os coordenadores do projeto ouviam os participantes sobre seus sonhos, interesses, desejos para o futuro.

Quando indagaram a Sara, ela disse que seu filho desejava cursar o ensino superior, talvez medicina; que o marido aguardava, algum dia, conseguir um emprego melhor; que a filha esperava se casar e ser feliz na nova família que pretendia constituir.

E Sara falou e falou dos sonhos de todos, até de sobrinhos. Então, de forma direta, lhe foi perguntado: Quais são os seus sonhos? Importante que nos fale dos seus sonhos, não dos seus familiares.

Sara se pôs a pensar, a pensar... E não conseguiu responder.

Seus sonhos eram todos voltados para o outro. Nunca tinha parado para refletir sobre os seus interesses pessoais, sobre os objetivos da sua vida, o que ela queria para si mesma.

*   *   *

Será que somos como Sara? Será que nunca paramos para refletir sobre nossa vida?

Estamos simplesmente vivendo cada dia, tentando resolver os problemas, sem espaço para mais nada?

É fundamental que tenhamos sonhos, projetos de realização pessoal.

Não devemos apenas pensar nas necessidades materiais do dia a dia, mas buscar ver a vida a partir de um horizonte maior.

Ter objetivos que possam ir além das necessidades materiais, do destaque social, do consumismo, da busca da juventude permanente.

É preciso identificar quem somos, como estamos na intimidade, o que queremos construir em nós, como desejamos continuar a viver os nossos dias.

Para isso precisamos nos permitir momentos de reflexão serena, profunda, que nos possam conduzir a uma avaliação cuidadosa de nós mesmos.

Para muitos de nós poderá ser difícil encontrar um horário só para nós. Vivemos para os compromissos, com a agenda sempre repleta, para as outras pessoas, para as realizações externas.

Porém, é necessário cuidarmos de nós mesmos. Necessário que nos conheçamos e que possamos definir objetivos duradouros para nossas vidas.

Podemos começar devagar, sem pressão e sem conflitos.

Reorganizar nossos horários para incluir momentos em que possamos estar a sós conosco mesmos.

E, então, nos questionarmos: quem sou eu? Quais os meus valores? Que desejo para mim? O que há em mim que posso melhorar?

Esse processo de autoconhecimento irá nos permitir redefinir nossas vidas, identificar nossos sonhos e objetivos para além das exigências da vida cotidiana, voltada apenas para as coisas imediatas.

Poderemos descobrir projetos esquecidos, despertar para uma vida interior, onde possamos encontrar objetivos maiores.

Serenidade para uma prece profunda. Um quase êxtase ouvindo uma boa música. O prazer de uma leitura nobre. Aprender a tocar um instrumento musical. Aprimorar a fala e a escrita no próprio idioma.

Servir ao próximo, sim. Igualmente, nos conceder um mimo a nós mesmos, por segundos que sejam, a cada dia.

Algo que nos faça bem, nos eleve, nos reabasteça o ânimo, nos reative a esperança, nos faça crescer.

Pensemos a respeito.

Redação do Momento Espírita,
 com relato de fato.
Em 7.7.2022.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998