Momento Espírita
Curitiba, 26 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Esta é a nossa oração – Paz no mundo

No dia 6 de agosto de 1945, os Estados Unidos detonaram sobre a cidade de Hiroshima, no Japão, a primeira bomba atômica da Segunda Guerra Mundial.

Três dias depois seria a vez da cidade japonesa de Nagasaki sofrer o ataque nuclear.

A primeira bomba caiu a pouco mais de um quilômetro da casa da menina Sadako Sasaki que, na época, tinha dois anos de idade.

A mãe conseguiu salvá-la da explosão, no entanto, durante a fuga, as duas se encharcaram na chuva radioativa que caiu.

Sasaki viveu normalmente até os doze anos, quando descobriu que estava com leucemia, devido à radiação nuclear a que fora exposta.

Em tratamento no hospital, ela recebeu a visita de uma amiga que lhe contou a lenda dos mil Tsurus de papel.

O Tsuru é uma ave grande, de cores contrastantes, plumagem clara, chegando ao branco, com extremos de fascinante degradê vermelho, e dotada de inigualável encanto.

Na mitologia japonesa, é considerado o pássaro mais velho do planeta, com expectativa de vida de cerca de mil anos.

A arte do origami, ou seja dobrar papel, se inspirou nessa ave para criar uma de suas mais conhecidas formas, tanto que muitos consideram o Tsuru como o símbolo dessa arte japonesa.

A lenda diz que se a pessoa dobrar mil origamis de Tsurus, com a mente direcionada para uma necessidade, garante o desejo realizado.

Sasaki começou a fazer as dobraduras, mentalizando a sua cura. Queria sair do hospital livre da leucemia.

Ela não tinha muito papel. Por isso, usou invólucros de medicamentos e o que mais conseguisse. Visitava os quartos de outros pacientes para pedir embrulhos dos seus presentes.

Uma versão popular diz que ela morreu pouco antes de atingir seu objetivo. No entanto, uma exibição no Museu Memorial da Paz de Hiroshima afirmou que pelo fim de agosto de 1955, Sasaki havia atingido seu objetivo e continuou a dobrar mais trezentos Tsurus.

Ela morreu em 25 de outubro de 1955.

Depois de sua morte, seus amigos e colegas da escola publicaram uma coleção de cartas com o objetivo de conseguir financiamento para construir um memorial para ela e para todas as crianças que morreram pelos efeitos da bomba atômica.

Três anos depois, em maio, foi inaugurado em Hiroshima, no Parque da Paz, o Monumento da Paz das Crianças, com a estátua da menina Sasaki erguendo um origami de Tsuru.

No pé da estátua está a inscrição: Este é o nosso choro. Esta é a nossa oração. Paz no mundo.

A história de Sadako Sasaki é considerada como um dos símbolos da luta pelo fim das armas nucleares.

A vontade de viver da menina japonesa, que se pôs a fazer mil origamis de Tsurus, transformou-se no símbolo da paz, tanto que todos os anos, no dia 6 de agosto, no qual se comemora o Dia da Paz, milhares de pessoas enviam Tsurus ao Monumento da Paz das Crianças.

Para os japoneses, depositar Tsurus nos memoriais representa votos de paz ao mundo, uma manifestação pacífica no intuito de chamar a atenção de todas as nações para que nunca se esqueçam do mal que as armas nucleares podem causar a um povo.

Redação do Momento Espírita.
Em 5.10.2022.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998