Momento Espírita
Curitiba, 30 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone A couraça certa

Lembro, com saudade, daquela companheira de estudos e trabalhos, no grupo religioso que frequentamos por décadas.

Ela se foi, há algum tempo, tendo cumprido sua trajetória de vida, com dignidade.

Era um exemplo ante os percalços que a alcançavam.

Simpática, contava com o carinho e a confiança de todos.

Era comum que quando alguém se sentia perecer, ante as ondas de problemas, a procurasse para conversar.

Ela sempre tinha uma palavra certa para os momentos incertos, e uma linha psicológica surpreendente.

Tinha capacidade de ouvir pacientemente o relato dos desaires e dos problemas alheios.

E com sua voz calma, lembrava de alguma orientação evangélica, de um exemplo de superação.

Quando a questão abordada se repetia algumas vezes, ela tornava o recado mais palpável.

Certa feita, quando vários integrantes do grupo enfrentavam difícil fase de adaptação, ela confeccionou e distribuiu individualmente um cartão onde desenhara uma couraça.

Com letra caprichada escrevera: É hora de usar a couraça certa.

Não houve quem não ficasse curioso ou intrigado com a frase.

Alguns sequer tínhamos ideia do que era uma couraça e fomos ao dicionário para a consulta, descobrindo o significado.

Couraça é uma armadura feita de metal ou couro, usada por soldados, sobre o peito e as costas, para se proteger de golpes inimigos.

Por analogia, podemos pensar em proteção para o lado frágil, vulnerável de uma pessoa.

*   *   *

E foi em uma epístola do Apóstolo Paulo que encontramos o alerta: Sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e da caridade e tendo por capacete a esperança.

Fé - armadura que nos auxiliará nos embates, no corpo a corpo das lutas que se nos fazem diárias.

Fé que nos dirá para aguardar o amanhã, porque embora nos sintamos perdendo a batalha, as horas seguintes podem alterar o quadro vigente.

Fé que nos alenta porque sabemos não transitar no mundo, como quem nada tem.

Somos filhos da luz, filhos do dia. E o Senhor de bênçãos tem os olhos sobre nós.

Por sua vez, a couraça da caridade nos dirá para acionar a paciência quando a irritação, diante da ignorância, nos desejar tirar do sério.

Também nos dirá para não sermos tão severos com quem ainda não conquistou a disciplina, os bons costumes, a educação.

E acionarmos a caridade do silêncio frente a alguém que perde o senso e o equilíbrio.

O selo de qualidade da caridade se chama amor.

Para prosseguirmos em nossa caminhada, vencendo a cada passo a dificuldade que se apresente, muitas vezes nos basta a fé convicta e entusiasmada para nos sentirmos fortes.

Mas para convivermos melhor com nosso irmão, compreendendo que, como nós, ele está às voltas com problemas, com dúvidas, com incertezas, é imprescindível a presença da caridade.

Não nos esqueçamos, dessa forma, de usar nossa couraça de fé e caridade, em tudo e por tudo dando graças a Deus.

Nas vinte e quatro horas de um dia podemos ter nuvens escuras e chuva caindo torrencialmente.

Também ventos fortes. Mas, vem o sol e enxuga as lágrimas da natureza.

Lembremos que o mesmo Deus de paz a tudo abençoa. Nós e o mundo.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 98, do
 livro
Fonte Viva, pelo Espírito Emmanuel, psicografia
 de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.
Em 26.11.2022.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998