Momento Espírita
Curitiba, 17 de Junho de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Modificando o panorama mental

Qual a diferença que pode fazer um sorriso na vida de alguém?

Como uma palavra gentil, um gesto de afabilidade pode transformar o dia de uma pessoa?

Não há quem possa dizer que não tenha dias difíceis, de insatisfação ou grande indisposição.

São aqueles dias nos quais amanhecemos um tanto contrariados, com mau humor sem razão.

Nesses dias, o café da manhã não sai de acordo, faltou a fruta que queríamos, queimamos o pão na torradeira.

A saída de casa é cheia de imprevistos e parece que tudo conspira para nos atrapalhar ainda mais.

Na rua, nos damos conta de que esquecemos algo importante, em casa. Perdemos a condução, por causa de alguns instantes. Ou, então, o trânsito e os outros motoristas parecem querer nos irritar.

Temos, todos nós, vez ou outra, dias assim. Seja por uma indisposição física, uma preocupação grave que nos desestabiliza ou o cansaço acumulado pelos tantos afazeres.

Por isso, é previsível que, muitas vezes, nos encontremos com pessoas que estejam nesse estado de ânimo.

Ao entrarmos em uma loja, talvez aquele possa não ser um bom dia para o funcionário que vem nos atender.

Estará com uma certa apatia, esforçando-se para não deixar transparecer seu mau humor.

Ou o caixa do supermercado, de poucas palavras, sem um sorriso ou gentileza para nos agradar, apenas fazendo sua função.

Pode ser que encontremos algum motorista, irritado e sem paciência, desequilibrando-se por algum desacerto nosso, que foi feito sem nenhuma intenção.

Nessas horas, quase sempre, nossa postura é de incompreensão e de irritação.

Acreditamos que não deveríamos ser tratados assim, criticamos a postura do outro, tomando aquilo como algo pessoal.

Chegamos a mudar nosso humor, dizemos que tal situação estragou nosso dia.

Tudo isso porque nos deixamos contaminar pela problemática ou indisposição do outro.

Porém, e se, nessas situações, conseguíssemos retribuir de forma diferente?

Que tal se, ao nos depararmos com alguém irritado, impaciente, nos propuséssemos a contagiá-lo com o nosso bom estado de espírito?

O que aconteceria se ao servidor de má vontade, desejássemos, com sinceridade, um excelente dia, paz e tranquilidade?

O que aconteceria se respondêssemos com gentileza e paz de espírito a alguém que, no trânsito, dirige seu veículo nervosamente?

A partir do momento em que nos damos conta de que a indisposição do outro não é por nossa causa, mas decorrente de problemas pessoais, tudo se modifica.

Passamos a compreender suas razões e, ao invés de reagir na mesma sintonia, podemos agir em sentido contrário.

Então, se os nossos dias estão tranquilos, ofereçamos essa tranquilidade para aqueles que dela precisam.

Se a jornada terrena está em uma fase de calmaria, compreendamos que muitos estão aflitos, e que nossa palavra calma e ponderada, poderá ajudá-los.

Compreendamos as dores alheias, oferecendo um sorriso, uma gentileza, um olhar amável.

Dessa forma, com pequenos gestos, poderemos melhorar o dia de alguém, aliviando dificuldades de quem percorre horas de sofrimento.

 Redação do Momento Espírita.
Em 9.2.2023

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998