Momento Espírita
Curitiba, 30 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Bilhetes de amor

Uma onda de bilhetes aleatórios, com mensagens inspiradoras, tem sido mostrada, com muito sucesso, pela Internet.

Trata-se de uma espécie de boa ação anônima. Alguém escreve breves frases de incentivo, numa pequena folha de papel e a entrega, dobrada, para uma determinada pessoa num local público.

O entregador simplesmente desaparece na multidão, logo em seguida.

A reação de quem recebe é muito interessante. Primeiro, a natural curiosidade. Alguém que não conheço passou por mim, não se identificou e simplesmente me deixou um bilhete. Tudo muito estranho.

Todos acabam abrindo e aí começa o momento mais precioso da experiência. Não há quem não fique tocado.

Frases como:

Voe, voe alto menina. Você é do tamanho dos seus sonhos.

Uma outra:

Não tenha medo, pois Deus nunca o abandonará.

Ou ainda:

Deus mandou lhe dizer: Estou orgulhoso dessa sua força. Estou feliz em ver que, por mais que esteja difícil, você não desistiu.

São alguns exemplos do que as pessoas leem, sentadas na mesa de uma lanchonete ou esperando o ônibus, ou ainda, trabalhando como segurança num evento esportivo.

Percebe-se, claramente, como todos andam necessitados de um pouco de carinho, de um pequeno gesto de atenção.

Quase todos vão às lágrimas. Sentem-se notados, queridos, importantes.

Alguns chegam a olhar para o Alto, numa espécie de reverência e gratidão ao Ser Maior que os viu, tão pequenos.

*   *   *

É isso que ocorre toda vez que nos colocamos a serviço do bem. Tornamo-nos mensageiros, instrumentos da amorosidade do Criador.

Quantas almas despedaçadas pelo nosso caminho...

Quantas dores inimagináveis que passam despercebidas.

Quantos lares desfeitos... Quantas violências sofridas dia após dia.

Nem sempre os semblantes demonstram tudo que vai na alma. Aprendemos a disfarçar, a fazer de conta que está tudo bem, a nos manter firmes para sermos aceitos em sociedade.

Uma boa maquiagem, cabelo arrumado e uma vestimenta da moda, e lá estamos nós, com a vitrine caprichada.

Um olhar mais atento, no entanto, logo desvenda o que vai no coração.

Pequenas palavras trocadas, um abraço, um breve sorriso, segundos de atenção respeitosa já podem fazer melhor o dia de alguém.

Observemos com atenção o mundo à nossa volta. Observemos as pessoas. Olhemos nos olhos e, sempre que pudermos, nos façamos instrumento do bem na vida do outro.

Isso não toma quase nada do nosso precioso tempo. E o torna mais valioso ainda.

Um elogio... Uma expressão de empatia... Uma forma qualquer de dizer: Eu vejo você, eu me importo com você.

Não imaginamos quanto bem podemos fazer num gesto breve e descomprometido.

Pensemos que aquele sorriso sincero pode ter sido o único que aquela pessoa receberá no dia.

Que pode fazer alguns dias ou semanas que ela não recebe um simples elogio.

E que o amor de nosso Criador pode estar pedindo a nossa ajuda naquele momento, pois somos a pessoa certa no momento certo na vida do nosso próximo.

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita
Em 20.4.2023.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998