Momento Espírita
Curitiba, 30 de Maio de 2024
busca   
no título  |  no texto   
ícone Cuidemos da nossa saúde

Nas atividades diárias, encontramos um gigantesco número de pessoas desatentas com sua saúde.

Talvez nós mesmos estejamos nesse rol de indivíduos que desrespeitam os recursos do corpo físico, que o Criador nos concedeu.

Na lista das agressões cotidianas contra a saúde do corpo, podemos enumerar o vício do tabaco, sob todos os nomes, incentivado aqui e ali.

O vício do alcoolismo que, destruindo lares, contaminando templos e escolas, continua recebendo o aplauso social em diversas áreas.

O vício da gastronomia, que costuma deformar o estômago, o corpo em geral, danificando as suas funções, sendo mal interpretado como "comer bem".

O vício dos exageros de trabalho, submetendo o maquinário orgânico a excessos tais que em curto tempo consomem as energias e provocam desgaste prematuro ao corpo físico.

O vício do excesso de lazer, que nos leva a desrespeitar a lei do trabalho, atirando-nos ao extremo oposto, à inoperância, ao ócio total.

O vício da negociação por uma hora a mais no leito, ou por um feriado a mais e outras providências pró-paralisia, em nome de um contínuo cansaço.

O vício dos regimes para emagrecer ou para engordar, sem qualquer necessidade em muitos casos, ou sem a orientação da medicina e do nutricionismo, provocando desastres que podem conduzir à falência do veículo corporal.

Cuidemos da nossa saúde, sim, sem esquecer que o nosso corpo físico é importante bênção a serviço da nossa evolução no planeta.

É um bendito talento que, bem utilizado, nos possibilitará subir alguns degraus na escala da evolução.

Evitemos, então, os exageros de quaisquer tipos. Não nos permitamos padecer carências e distúrbios orgânicos sem procurar os cuidados médicos necessários.

Também não cultivemos a hipocondria, que estabelece a mania neurótica de doenças, bombardeando as células com os dardos da mente perturbada.

Evitemos o uso indiscriminado desse ou daquele medicamento, por mais apregoado que seja, considerando as reações danosas que pode provocar em nosso corpo.

Cuidemos da nossa saúde, com a atenção que ela exige, seja do alimento de boa qualidade, seja da dinâmica da boa ginástica, desde os descansos necessários até os remédios bem indicados pelo médico.

Aprendamos a fazer tudo o que nos seja importante com moderação, de modo a não desperdiçarmos as bênçãos do corpo.

Tenhamos em mente que nosso estado mental e a nossa harmonia psíquica são fundamentais para acionar nossos recursos corporais.

Então, procuremos manter a nossa mente alimentada por tudo o que nos seja útil, salutar, relaxante.

Agindo assim, evitaremos as tensões nervosas, os estresses, que têm sido tão comuns, na atualidade, provocando disfunções orgânicas e gerando enfermidades.

Respeitemos esse talento bendito que o Criador nos oferta na Terra.

Vivamos nosso dia a dia com essa visão de que somos os grandes responsáveis por nosso estado geral de doença ou saúde, como senhores de nossas células corporais que somos.

*   *   *

Amemo-nos. Cuidemos do nosso Espírito e, igualmente, do nosso corpo, seu instrumento.

Reflitamos a respeito.

Redação do Momento Espírita, com base
 no cap. 29, do livro
Para uso diário, pelo
 Espírito Joanes, psicografia de Raul Teixeira,
 ed. Fráter.
Em 17.4.2024

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2024 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998